Novo espaço para se pensar e discutir a dinâmica do mercado e das marcas de luxo, dos produtos e serviços com alto valor agregado e para todos aqueles que se interessam pelos temas do consumo e novas tendências, moda e estilo, design, branding e marketing. O crescimento e a valorização do luxo é uma questão central do consumo contemporâneo e faltam especialistas e espaços para discutir este tema com seriedade.

Friday, March 21, 2008


O Mix de Marketing para o Mercado do Novo Luxo

Hoje os gestores do mercado do luxo se perguntam constantemente como deve ser o mix de marketing para os segmentos do luxo intermediário e acessível, de um luxo mais propagado e de reconhecimento facilitado?
Cada estrategista parece ter uma resposta pessoal, mas quase todos concordam e há um consenso sobre um dos objetivos centrais sobre o que seja uma estratégia de marketing eficiente para o setor do novo luxo: a busca do equilíbrio entre difusão e acesso democratizado, a extensão do nome e da marca e o respeito a sua identidade e história, a busca de novos consumidores ocasionais, mas sem perder o padrão de seletividade e a confiança e lealdade de sua clientela. São estes pontos que garantem a desiderabilidade, o culto e reforço de valor da marca – o brand equity do luxo.
Um outro grande desafio para a indústria do luxo é crescer e aumentar sua rentabilidade e lucros, sem com isso perder o glamour e as características artesanais e refinados de seus produtos. Foi-se o tempo de uma lógica centrada na oferta, criação e criador. Hoje ingressamos numa lógica mais complexa que envolve a demanda, a concorrência, as necessidades do mercado e a cultura local.
A indústria do luxo está consolidada, mas enfrenta o grande desafio de satisfazer uma nova leva de consumidores mais críticos e exigentes, ainda pouco ambientados as tradições e manuais de normas do luxo original, com preferências e estilos de consumo mais instáveis e voláteis, indivíduos auto-centrados e em busca de gratificação psíquica e auto-estima, ainda pouco fiéis as marcas.
A gestão do novo luxo precisa conciliar a ética da antiga maison familiar com a administração profissional e rigorosa das grandes marcas para se sustentar a nível mundial. Além disso, o ambiente é mais competitivo e as diversas empresas passam a concorrer com ofertas de produtos do luxo intermediário nos segmentos onde as novas classes consumidoras do masstige concentram suas escolhas.
Ao democratizarem-se ou industrializarem-se as empresas do setor do luxo precisam a todo custo zelar e manter intacto a imagem e prestigio das antigas maisons e o nome de seus criadores. Ao democratizarem-se e buscarem a satisfação de uma nova clientela, toda a visão administrativa da empresa e toda sua política de gestão de marca precisa ser fortemente repensada. O novo luxo precisa se reinventar, reinterpretar e projetar de forma criativa, mas coerente, a identidade de seu nome junto a esta nova clientela, cuja sensibilidade, afinidade e identificação efetiva e eletiva com o conceito de luxo é bem diversa do da clientela tradicional.
As estratégias de marketing precisam ser pensadas no setor do novo luxo tendo como premissa inicial que o comportamento e a sensibilidade do novo consumidor de luxo são outras, suas necessidades e aspirações também e, que o marketing eficiente é aquele que observa, escuta, dialoga e apresenta soluções e satisfações ao cliente. Com este novo domínio da demanda sobre a oferta, caso inédito na longa história luxo, torna-se urgente o alinhamento das necessidades do novo consumidor com as capacidades da indústria e com a garantia de respeito à herança e ao nome de culto dos criadores.

2 Comments:

Blogger Gardagami said...

See here or here

11:09 AM

 
Blogger Luz Vaalor said...

Você gosta do assunto Luxo?
Recomendamos:

http://mercadodeluxocontemporaneo.blogspot.com/

10:20 AM

 

Post a Comment

<< Home